Uma linda história de amor!!!


Reportagem do Jornal de Americana " O Liberal "

Existe apenas um sentimento capaz de derrubar todos as barreiras, sejam elas quais forem.
Testemunhas disto é o casal Luís Olímpio da Silva, 78 e Antônia Perine Costa, 70 que irão se casar no próximo mês. Os dois se conheceram no Lar dos Velhinhos São Vicente De Paula onde reside, ela há sete anos e, ele há apenas um.
É possível sentir o carinho que sentem um pelo outro, e a vontade de ambos em estarem juntos, como dois adolescentes. A cada pergunta respondida, trocavam olhares de cumplicidade. E como tudo aconteceu? No Lar, existe uma divisão de espaço entre homens e mulheres, que se encontram algumas vezes ao dia, mas para o seu Luis isso não foi empecilho, pois ele aproveitou alguns desses momentos em que se viam, como o café da manhã, para iniciar a paquera, assim a conversa começou a fluir e há cinco meses eles estão juntos.
Mas não foi tão fácil assim.Antes de iniciar o namoro, Dona Antônia decidiu que deveriam comunicar a diretoria, que aceitou o relacionamento e agora eles passam as tardes juntos namorando, e mais que isso, após o casamento, eles passarão a dormir no mesmo dormitório, situação inédita nos trinta anos do Lar.
Apesar do semblante sofrido, um pouco séria, Dona Antônia, que é natural de Catanduva, porém criada em São Paulo, nasceu com uma doença no pé, e já com 14 anos precisou amputar a perna. Está feliz com o casamento, mas reforça que quer uma cerimônia simples, na capela do Lar, e não usará vestido de noiva, porém isso não a impede de seus caprichos por menor que seja cuidado com a aparência, como unhas feitas e cabelos bem tratados. Como toda noiva está ansiosa e não vê a hora de subir ao altar. A cerimônia tem data prevista para o dia 10 de maio, esperando somente a confirmação do padre Itamar que foi o escolhido para dar a benção aos noivos.
Já seu Luís muito alegre e falante, mineirinho nato, viúvo de três esposas, com sete filhos, se considera ciumento, afirma que “o coração não envelhece e temos que cuidar do que é nosso”. De acordo com seu Luís, apesar do Lar ser um local muito agradável, todo mundo precisa de alguém para “encostar o ombro, jogar conversa fora e beijar na boca sim!”, porque de acordo com o casal, beijo na boca é o que não falta nesta relação, porém com respeito. A união também foi uma forma encontrada pelo casal de combater a solidão que sentem. A matéria precisou ser encerrada com a chegada da irmã da noiva que veio diretamente do Paraná para matar a saudade e conhecer o noivo.
Reportagem : Alunos do 3º semestre do curso de comunicação social do Unisal JORNALISMO
Aline Hencklein, Merary Moreira, Jonatas de souza Munhoz barbosa de Carvalho ( eu), Jackeline Aguiar, Aghta Paulline
Compartilhar no Google Plus
Postar um comentário
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial