14 anos sem Irán Eory

Há exatamente  14 anos, morria umas das maiores atrizes do mundo, a iraniana Irán Eory, conhecida pelo brasileiros como a Senhora Victória em "Maria do Bairro", sucesso de 1995, reapresentado diversas vezes pelo SBT.
Ir�n Eory

 Irán Eory também era cantora, e chegou a ganhar, em 1964, o 'El Festival de Benidorm' na Espanha, com a música "Eternidad". Chegou ao México em 1969, acompanhada de seus pais e convidada por Yolanda Dulche para gravar ''Rubi'' seu primeiro filme em solo mexicano, com Aldo Monti e Carlos Bracho.

No México, sua primeira telenovela foi "Encrucijada" em 1970, com Jacqueline Andere e Enrique Aguilar; e "Las máscaras" em 1971, ainda no ano de 1971, foi ao ar a telenovela que a fez ser conhecida em toda a América latina, "El amor tiene cara de mujer" com a participação da magnifica atriz Silvia Derbez também já falecida, e Irma Lozano e Lucy Gallardo.
Outras telenovelas: "Mundo de juguete" 1974, "Dominica Monteiro" em 1978, "Rosángela" de 1979, na Venezuela, "Principessa" em 1984, além de outras. Foi cantora, bailarina, fez teatro musical e tocava vários instrumentos musicais como piano, acordeon, guitarra e falava várias línguas.
Foi casada com o ator cômico mexicano Mario Moreno o Cantinflas, que faleceu em 1993. Em 1999, Eory sofreu um edema cerebral, que a manteve hospitalizada por um tempo e afetou a mobilidade do seu lado esquerdo do corpo. Ela vivia em seu apartamento na Colônia Nápoles junto de sua mãe. A última vez em que Irán Eory apareceu em público na tv foi na Univision, nos Estados Unidos no programa da apresentadora Martha Susana.
Duas semanas depois, na sexta-feira 8 de fevereiro de 2002, desmaiou em sua casa e foi levada para o Hospital Inglês na Cidade do México, onde veio a falecer na manhã de domingo, dia 10 de fevereiro de 2002 às 07:35, aos 63 anos de idade, após entrar em coma e sofrer um derrame cerebral.
Seu último trabalho na televisão foi em 2001 na novela ''Aventuras en el tiempo'', onde fez uma participação especial. Ao falecer deixou viúvo o também ator chileno Carlos Monden (casados desde 1986-2002) e sua mãe dona Ángela. Nunca teve filhos, seu corpo foi cremado, e suas cinzas foram depositadas juntas a de seu pai (falecido em 1989), no Panteón de las Lomas de Chapultepec na Cidade do México. Dona Ángela faleceu um ano depois, em maio de 2003



Compartilhar no Google Plus
Postar um comentário
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial